Juan Miguel conheceu sua esposa, Daili, no emprego. Por mais de uma década, eles trabalharam em uma indústria de frango. A estabilidade deu a eles confiança para constituir família e juntos tiveram 4 filhos.

Mas, por conta da crise na Venezuela, perderam seus empregos. Tentaram novas ocupações, mas todas temporárias e com baixa remuneração. Os filhos reclamavam de fome!

Decidiram então vender tudo o que tinham para migrar para o Brasil. Foram mais de seis meses se desfazendo de todos os seus pertences e juntando dinheiro para as passagens. Nesse período, para economizar, Juan Miguel andava 40 quilômetros todos os dias para conseguir comida para seus filhos: um mercado doava para ele poucas sobras do dia.

Atualmente, a família está no centro de acolhimento São Vicente 2, onde o Refúgio 343 mantém operação, à espera de uma oportunidade de interiorização para recomeçar sua vida no Brasil. Você pode ajudá-los! Clique aqui e saiba como!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *